sábado, 24 de agosto de 2019 14:17

Audiência pública na Alepe celebra os dez anos do Programa de Educação Integral

Solenidade reuniu professores, gestores, líderes sindicais, parlamentares e a comunidade escolar



Assessoria de Comunicação - 17/12/2018 16:29h


Créditos: Gil Menezes

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) celebrou, nesta segunda-feira (17), os dez anos do Programa de Educação Integral de Pernambuco. A audiência pública, realizada no auditório Ênio Guerra, reuniu professores, gestores, líderes sindicais, parlamentares e a comunidade escolar para comemorar os avanços do programa na educação pública de Pernambuco.  

A deputada estadual Teresa Leitão abriu a cerimônia de comemoração falando da sua trajetória de luta e conquista na educação do estado. “Fico honrada em fazer parte dessa luta desde o meu primeiro mandato”, lembra.

Na ocasião, o secretário de Educação do Estado, Fred Amancio, apresentou a evolução da educação integral em todo estado, exibiu dados que revelam a importância do sistema implantado, bem como a ampliação desse serviço nas áreas mais carentes.  “Pernambuco virou um grande exemplo para o Brasil e hoje é um estado respeitado em todo o País na área da educação porque mostrou que mesmo em meio a tantas dificuldades foi possível avançar”, destaca.

Ao final da solenidade, os participantes tiveram a oportunidade de usar a tribuna da assembleia para expor seus sentimentos e experiências vividas ao longo desses dez anos de história. “Muitas lutas foram travadas. Muito se avançou e tem muito para continuar avançando”, discursou o gestor da Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Brasilino José de Carvalho, Claudio de Sá. “Todos os desafios aqui colocados reflete a grande epopeia que é buscar uma educação pública que promova a reflexão e a inclusão”, finaliza.

 

Educação Integral

Em 10 de julho de 2008 o então governador do estado, Eduardo Campos, assinava a lei complementar 125, que criava o programa de Educação Integral. A partir disso, Pernambuco começou a instituir como política pública o ensino médio integral e técnico, bem como a oferta sistemática de experiências inovadoras e o estímulo à inserção da tecnologia nas salas de aulas e tornar as escolas mais atrativas e, com isso, potencializar o aprendizado dos estudantes. Desde então, o estado vem se destacando no cenário nacional com a quantidade de escolas em tempo integral que agrega. De acordo com o Ministério da Educação (MEC) Pernambuco, hoje, Pernambuco concentra a maior rede de ensino médio integral do país.

Atualmente, o estado dispõe de 388 escolas em tempo integral. Dessas, 345 são Escolas de Referência em Ensino Médio (EREMs) e 43 são Escolas Técnicas Estaduais (ETEs), que atendem mais de 158 mil estudantes. O que mais chama a atenção é a ampliação das escolas em tempo integral no estado ao longo desses dez anos que antes contava com apenas 51 unidades de ensino. Isso significa um crescimento de 676%. Outro dado importante a ser revelado é a evolução na quantidade de polos de Educação a Distância. Em 2008, a região não apresentava nenhum local para os estudantes se qualificarem profissionalmente por meio do ensino a distância. Hoje, Pernambuco já conta com 91 polos espalhados por todo o estado.

O que antes era um projeto passou a ser uma política pública. Com a promulgação da Lei nº 13.968/2009, que marcava o recomeço da Secretaria Executiva de Educação Profissional, capitaneada pelo então secretário executivo, Paulo Dutra, a escola em tempo integral se tornou uma estratégia para materializar uma educação que atendesse aos jovens do estado desde o cais ao Sertão nesta modalidade. Dentro das unidades de ensino se trabalha uma filosofia de educação interdimensional concebida pelo professor mineiro Antônio Carlos Gomes da Costa, que executa fortemente a premissa da pedagogia da presença, do educar para valores e do protagonismo juvenil. Portanto, essa proposta da política pública de educação integral em Pernambuco forma jovens autônomos, solidários, competentes e capazes de sonhar e concretizar os seus projetos de vida.

Dentro de uma escola integral, os estudantes encontram um trabalho voltado para o protagonismo juvenil, além da ampliação da carga horária, que varia de 35 a 45 horas semanais, com a proposta de abrir a possibilidade para a juventude e criar oportunidades para que esses jovens consigam se desenvolver na sua integralidade pessoal.



Enviar Mensagem

Voltar



Av. Afonso Olindense, 1513 | Várzea | Recife-PE |
CEP: 50.810-000 | Fone:(81) 3183.8203
Fale com a Ouvidoria 0800.286.8668