domingo, 17 de dezembro de 2017 22:18

SEE premia vencedores do concurso de “Educação em Direitos Humanos e Inclusão”

Certame contabilizou mais de 150 trabalhos inscritos nas categorias: desenho, foto e vídeo



Assessoria de Imprensa - 06/12/2017 17:46h



Nesta quarta-feira (6) a Secretaria de Educação do Estado (SEE), por meio da Gerência de Políticas Educacionais de Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania (GEDIH), realizou a entrega dos prêmios aos vencedores do concurso “Educação em Direitos Humanos e Inclusão”. A cerimônia ocorreu no auditório da UNINASSAU, no Recife, e reuniu estudantes, professores, gestores e familiares. Na ocasião, certificados e brindes foram entregues aos campeões das categorias: desenho, foto e vídeo. A competição movimentou 16 Gerências Regionais de Educação (GRE) e contabilizou cerca de 150 trabalhos inscritos.

O concurso teve o objetivo de colocar os estudantes como protagonistas da construção do seu conhecimento, a fim de compreender os direitos humanos como o eixo da escolaridade e das práticas educativas. “O debate que está na sociedade chega na escola.  A escola tem o dever de ressignificar, sobretudo, os estereótipos e desenvolver um trabalho de enfrentamento à violência e a qualquer tipo de preconceito. Nós entendemos que educação em direitos humanos não é só um trabalho teórico conceitual, mas sim, uma vivência.  Pelas fotografias, vídeos e desenhos eles fazem uma leitura do mundo e de si mesmo”, pontuou a gestora da (GEDIH) Vera Braga.

A iniciativa ainda teve a finalidade de fazer compreender que a escola não deve só trabalhar os componentes curriculares e os conteúdos pedagógicos, mas também uma visão cidadã e fomentar os estudantes ao exercício da cidadania. No entanto, experiências exitosas do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) foram expostas na premiação.

O estudante Marcos Antônio de Freitas, da Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Joaquina Lira, localizada em Aliança, foi o vencedor na categoria vídeo com o título “Inclusão: a escola que queremos”. No curta, ele mostra a rotina de um cadeirante, desde sua casa até a escola, e as suas dificuldades de locomoção nas ruas e no trânsito. “Estou muito feliz por ter ganhado esse prêmio. Resolvi falar sobre esse tema porque na minha cidade existem muitos estudantes que ainda têm essa dificuldade, de ter acesso à escola por não ter acessibilidade. A minha escola foi toda reformada justamente para receber esses alunos. Portanto, vi no vídeo uma forma não só de mostrar essa preocupação com os deficientes, mas como também valorizar a escola, já que no nosso ambiente falta uma preocupação maior de fazer com que essas pessoas se sintam à vontade” falou.

Para o secretário executivo de Direitos Humanos, Eduardo Figueiredo, essa premiação é muito importante porque ajuda na disseminação do conhecimento sobre o assunto. “Trabalhar temas como os direitos humanos é muito desafiador, principalmente num momento como esse, em que vários direitos estão sendo cerceados, em que as pessoas sequer conseguem conceituar a perspectiva de garantia de direitos. Nós temos conseguido demonstrar isso não só em números, mas em qualidade de ensino e acima de tudo em respeito às diferenças” expressou. 

Veja mais fotos aqui.

Confira aqui as artes vencedoras.

 

Confira a lista completa dos vencedores

 

Modalidade – Desenho

1º Jean Carlos Monteiro - Cyberbullying – EREM Otacilio Nunes de Souza
2º Rafael Lucas Silva Menezes – Pessoa com Deficiência – EREM Gil Rodrigues – Título: Ignorando os Deficientes
3º Allysson Henrique Menezes - Bullying – ETE Antônio Arruda de Farias – Título: O preconceito é da “cor” que você pinta

Modalidade – Fotografia

1º Amanda Silva do Carmo – Questões Étnico-Racial – EREM Cleto Campelo – Título: Por dentro somos todos iguais
2º Emanuel Massias da Silva – Relações de Gênero - EREM Carlos Soares da Silva – Título: Viva Livremente
3º Roberta Rafaela Carneiro – Pessoas com Deficiência – EREM Ginásio de Limoeiro Arthur Correia de Oliveira – Título: O abraço que cura preconceitos

Modalidade – Vídeo

1º Marcos Antônio de Freitas – Pessoas com Deficiência – EREM Joaquim Lira – Título: Inclusão: a escola que cura preconceitos
2º Millena Ferreira de Oliveira – Diversidade Sexual – EREM Gil Rodrigues – Título: Taxada como tal
3º Thayna Maria Tavares – Diversidade Religiosa – EREM Dom Sebastião Leme – Título: O peso do preconceito



Enviar Mensagem

Voltar



Av. Afonso Olindense, 1513 | Várzea | Recife-PE |
CEP: 50.810-000 | Fone:(81) 3183.8203
Fale com a Ouvidoria 0800.286.8668